madrugada 2

o galo canta

ouço o galo cantar

canta galo

Michael Jackson me espanta

e avisa que o mundo de ser criança

não é eterno

nem nunca será

por isso o galo canta

há tempos não conseguia

não escrevia

tenho muito para contar

quando se tem a coisa na mão

tudo se apavora

como Michael Jackson

ele tinha a oportunidade de fazer do mundo um lugar melhor

mas isto é apenas o de sonhar

fantasia é coisa líquida

(é coisa líquida ou é coisa que esfumaça mas não molha?)

tudo que esfumaça não molha

hoje olhei para as coisas da mesa de trabalho. trabalho fantasia. ouvi em choro o que alguém dizia que era para parar. para. pára. que ela, a fantasia. que não devia. que este mundo em que vivia é fantasia. mundo de borboletas. e antes da cama, do sono. a fantasia ficou líquida no rosto e a vontade foi que ela desaparecesse junto com as lembranças que Michael Jackson trazia. tem vezes que a fantasia se transforma em monstro e isso não tô afim. não tô afim. a infância, também a persigo Michael! buscamos esse mundo que queremos que seja melhor, mas ficamos ali destruindo possibilidades de dar conta da presença alegre do presente. a presença alegre do presente é cafona? é cafona, mas que se foda. só a presença alegre do presente pode ser. esse é o exercício. tem que ser simples. a infância não é barroca, não. a gente, quando se afasta dela, é que a complica. o barroquismo vem quando a mulher menstrua. vira lua. e tudo fica barroco depois disso. o homem já não sei. se há barroco em algum homem é porque é do signo de água. a infância é do simples. é o olhar que deve olhar o mundo. mas a necessidade de fome e de sexo perverte tudo. entende o mito de eva. e isso é natural. olha para isso. encara serpente. se alevanta e segue sendo Gente. deixa a infância material concreta no dia, concreta na hora, a infância é ali que o galo canta.

o sol levanta

ouço o galo cantar

ouço o galo cantar.

o canto do galo tem gosto de café da manhã

e essa hora da manhã, madrugada 2, coração dói

e sinto Saudade

 

(escrevo sem forma e esta passa ser a forma de escrever. transito linguagens. me permito. desde o dia 09 de maio que tento escrever sobre o dia 09 de maio. para na verdade agradecer tudo o que foi o dia 09 de maio. por causa de vocês. por causa de casa pessoa que foi estar junto comigo. mas tenho a impressão que não preciso, cada um sabe da maravilha. maravilha que é fazer um livro, por isso entendo que vocês celebraram comigo. novas escritas surgem. permito. as escuto. não escrevo. mas esta veio na falta de sono e é bom escrever aquilo que não foi a intenção formal. texto corrido para mim virou virtual.)