a hora da estrela

Tudo no mundo começou com um “sim”. Uma molécula disse sim a outra molécula e nasceu a vida. Mas antes da pré-história havia a pré-história da pré-história e havia o nunca e havia o sim. Sempre houve. Não sei o quê, mas sei que o universo jamais começou.
flores.jpg
foto: http://melodyfairy.wordpress.com/2008/03/23/flores/

E todo o dia 22 de março, às 5:30 da manhã, o sol nasce. E neste sábado de aleluia nasci, renasci, acordei com ele para tentar lembrar como foi ter chegado por aqui neste mundo. Bonito ver o sol pintando o céu, mas também uma vontade enorme de voltar para cama quente. E voltei e dormi. Este aniversário numa semana santa foi bom. Muito bom e ainda comemoro esta entrada nos 30. E parece uma estrada nova, animada e longa, compriiiida…  e cheia de flores, diferentes.

Ganhei livros. 3. 1 eu já tinha, mas é nova edição. O Nani, o tio, me deu “A Hora da Estrela” de Clarice Lispector. É um dos livros que mais gostei de ler, mas faz tempo que li. Quase uns 10 tempos atrás. Quero reler. O livro começa com a passagem que começei esta notícia, lá em cima, falando do sim. Acho que os 30 é a idade do SIM!

Ganhei também “Cadernos de Lanzarote” de Saramago e “A Distância entre Nós” de Thrity Umrigar.

Tenho tanto que ler tanto… leitura é tempo que se ganha.

Queria dizer que Maritéia, o nome de uma minha personagem, nasceu logo depois de eu ter conhecido Macabéa. Chega quase ser ridícula a imitação, citação, inspiração, como queiram… Embora as personagens sejam bem diferentes. Lembro que na época o nome Macabéa ficou na minha cabeça. E quando quis escrever história de uma menina imatéria que realizava tudo o que eu não podia ou não conseguia, encontrei Maritéia. Influência direta do que lia.

Leitura é coneção com todo o mundo.

Que ninguém se engane, só consigo a simplicidade através de muito trabalho.